top of page
  • Foto do escritorCarolina Martins Vieira

Como preservar a saúde mental de pacientes oncológicos diante da COVID-19

Algumas pessoas podem desenvolver quadros psicológicos e psiquiátricos em tempos de coronavírus. Saiba o que fazer para manter o equilíbrio emocional


câncer pode afetar a saúde emocional de pacientes, familiares e cuidadores. A atual pandemia de coronavírus pode aumentar ainda mais a preocupação de todos, ainda mais em pacientes com câncer.


Pacientes que se encontram em quimioterapia podem ser ainda mais afetados, pois a imunidade pode estar comprometida. Logo, os cuidados necessários como o uso de máscaras faciais, a higiene das mãos e a descontaminação de superfícies são fundamentais para a segurança e devem ser rigorosamente seguidos, não somente pelos pacientes oncológicos, mas por todos aqueles que convivem e têm contato com eles.


Em relação a saúde mental, algumas pessoas podem desenvolver quadros psicológicos e psiquiátricos, como angústia, insônia, irritabilidade, estresse, medo ,depressão ,ansiedade, abuso de drogas e comportamentos destrutivos, nesta época.


Outras pessoas que já tinham quadros psiquiátricos podem apresentar retorno de seus sintomas. Algumas atitudes podem auxiliar a manter a saúde mental, como:


– Planejar um cronograma com atividades diárias: quanto mais se consegue manter uma rotina, mais fácil o enfrentamento da situação;

– Mantenha uma rotina de sono. Tente dormir e despertar no mesmo horário. Programe seu despertador!

– Mantenha horários fixos de suas refeições. Tente manter uma alimentação saudável;

– Evite bebidas alcoólicas e drogas;

– Mantenha uma prática de exercícios físicos leves, como alongamentos e até mesmo Ioga;

– Estratégias meditativas e controle de respiração diários; 

– Procure realizar atividade de lazer, se possível com banhos de sol (até mesmo em uma varanda);

– Aproveite esse tempo e faça leituras, artesanatos, bordados;

– Evite o uso excessivo de televisão e do celular.

No combate à pandemia, é importante fazermos a nossa parte, procurar estar atualizado e sempre atento aos cuidados de higiene, seguir as recomendações médicas de forma rigorosa.

Monitore sua saúde mental, caso você ou sua família acreditem que os sintomas estão muito intensos, não tenha vergonha de procurar ajuda de seu médico ou de um psiquiatra. Esclarecer suas dúvidas com seu médico e procurar ajuda s]ap sempre essenciais. Lembre-se, alguns atendimentos podem ser feitos por telemedicina, conforme protocolos e legislação pertinentes ao tema do Conselho Federal de Medicina e do Ministério da Saúde. 

Agradecimentos especiais pela colaboração nesta coluna à dra. Izabela Barbosa – professora do Departamento de Saúde Mental da Faculdade de Medicina da UFMG

Tem alguma dúvida ou gostaria de sugerir um tema? Escreva pra mim: carolinavieiraoncologista@gmail.com




13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page