top of page
  • Foto do escritorCarolina Martins Vieira

Quarta dose de vacina para COVID para imunossuprimidos: há esta orientação?

Até o momento, não há nenhuma recomendação oficial, pelo menos no Brasil, para a quarta dose, inclusive em pacientes transplantados


"Doutora, eu tomei a terceira dose da vacina para COVID-19 e programaram minha quarta dose para dezembro. Está certo isto?" . Nesta semana, recebi este questionamento de uma paciente oncológica extremamente esclarecida no consultório e me assustei com a informação. Daí resolvi pesquisar e estudar melhor sobre o tema.

"Doutora, eu tomei a terceira dose da vacina para COVID-19 e programaram minha quarta dose para dezembro. Está certo isto?" . Nesta semana, recebi este questionamento de uma paciente oncológica extremamente esclarecida no consultório e me assustei com a informação. Daí resolvi pesquisar e estudar melhor sobre o tema.

Para que as pessoas com alto grau de imunossupressão possam receber a dose adicional, é necessário ter tomado a segunda dose há pelo menos 28 dias (e não 6 meses). Segundo as orientações do Ministério da Saúde, estão elegíveis para a vacinação os usuários nas condições abaixo: imunodeficiência primária grave; quimioterapia para câncer; transplantados; pessoas vivendo com HIV/Aids.


Então, de onde veio a ideia de uma qurata dose? Israel foi o primeiro país a oferecer, oficialmente, uma terceira dose contra a COVID-19. No início de agosto, o país começou a oferecer doses de reforço para a população com mais de 60 anos. Agora, a dose extra está disponível para todos os que se imunizaram, desde que tenham completado o esquema vacinal anterior há pelo menos cinco meses.No combate ao coronavírus SARS-CoV-2, as autoridades de saúde de Israel discutem a questão da vacinação contra a COVID-19, inclusive se preparam para uma possível quarta dose do imunizante.


Já no Brasil, representantes do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo estudam a aplicação de uma quarta dose de vacina contra a COVID-19 em pessoas transplantadas. Eles avaliam que a resposta imune apresentada por pacientes transplantados é bem mais baixa do que na população em geral.


Ou seja, até o momento, não há nenhuma recomendação oficial (ao menos no Brasil) para a quarta dose, inclusive em pacientes transplantados. Assim, caso você seja paciente oncológico, acompanhe a programação vacinal não somente para você, mas também para os membros da sua família. Desta forma, você estará mais protegido.

Tem alguma dúvida ou gostaria de sugerir um tema? Escreva pra mim: carolinavieiraoncologista@gmail.com


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page