top of page
  • Foto do escritorCarolina Martins Vieira

Uso de cannabis e alívio de sintomas relacionados ao câncer

A cannabis medicinal pode ser aliada na melhora da qualidade de vida dos pacientes oncológicos, associada a outros medicamentos de suporte

Cada vez mais, o uso da cannabis medicinal vem sendo discutido, inclusive no manejo de sintomas dos pacientes oncológicos. Par conversar a respeito, convido nesta coluna o doutor Pedro Paulo Alvarenga.

Como é feita a terapia com cannabis medicinal? Quais são as substâncias utilizadas?

A terapia com cannabis medicinal é realizada a partir de produtos sintéticos (substâncias que se assemelham as moléculas da cannabis) ou produtos derivados diretamente da planta, através de processamento em laboratórios e indústrias farmacêuticas. Os canabinóides (que são as substâncias de maior interesse na comunidade científica) são utilizados geralmente em cápsulas ou produtos líquidos, a depender da indicação médica. Dentre eles, se destacam dois principais canabinóides: o CBD (canabidiol) e o THC. A indicação e a concentração de cada uma das substâncias depende da patologia ou sintoma a ser tratado. Em situações para controle de dor, por exemplo, usamos preferencialmente produtos ricos em THC. Já em pacientes portadores de doenças neurológicas, como a epilepsia, a escolha passa a ser produtos que contenham somente o CBD.

Como o uso da cannabis medicinal pode ser aplicada ao paciente oncológico?


Durante a trajetória e jornada oncológica, os pacientes muitas das vezes apresentam sinais e sintomas relacionados tanto a doença como ao tratamento. Náuseas, vômitos, dor, insônia e ansiedade são comuns nos pacientes oncológicos, e o uso da cannabis medicinal pode auxiliar a controlar esses sintomas. O uso da cannabis medicinal pode ser um aliado na melhora da qualidade de vida dos pacientes oncológicos, associada a outros medicamentos de suporte.


O uso da cannabis medicinal controla o câncer? Pode ter efeito na cura ou na progressão?


Até o momento nenhuma evidência científica foi publicada sobre o efeito direto da cannabis medicinal nos tumores. Em pesquisas de bancada (realizada com culturas de células e modelos animais por exemplo) existem descrições que a cannabis poderia retardar ou inibir o crescimento das células tumorais, porém esse efeito não foi comprovado in vivo (pesquisas com seres humanos).

A cannabis medicinal vicia? Pode gerar dependência?

Não. Por se tratar de um medicamento, com processo adequado de manipulação, bem como com indicações médicas formais, o uso da cannabis medicinal não causa dependência ou vício. Além disso, não tem os efeitos iguais ao uso recreativo da planta, o que torna o tratamento seguro aos pacientes elegíveis.


Quais médicos podem prescrever cannabis medicinal? Como faço para ter acesso aos produtos?


Hoje, qualquer médico inscrito no conselho de medicina pode prescrever produtos derivados da cannabis. Sendo assim, a melhor opção é direcionar ao médico que acompanha seu tratamento para definir a possibilidade do início da cannabis, ou até mesmo procurar atendimento de especialistas no assunto. Os produtos podem ser encontrados na farmácia (através de receituário especial) ou por via importação, através da liberação da Anvisa. Vale ressaltar que a via de aquisição da medicação também dependente do tipo de produto a ser utilizado. Caso o paciente tenha a prescrição de produtos via importação, o tempo varia em cerca de 10-20 dias para que a medicação seja entregue para início do tratamento.


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page