top of page
  • Foto do escritorCarolina Martins Vieira

Vacinas contra a COVID-19 e o câncer

Respostas para as principais dúvidas de pacientes oncológicos, familiares e cuidadores

A pandemia causada pelo vírus SARS-CoV-2 continua a ter um sério impacto em muitas pessoas, incluindo pacientes com câncer, suas famílias e cuidadores. Nas últimas semanas, venho recebendo muitas perguntas dos meus pacientes oncológicos sobre o coronavírus.


O foco desta coluna não será o aprofundamento sobre as vacinas e nem sobre a própria pandemia, mas sim tentar esclarecer algumas dúvidas recorrentes.


1- Pacientes oncológicos podem receber vacinas normalmente?


Pessoas com câncer (ou com histórico de câncer) podem receber algumas vacinas, mas isso depende de muitos fatores, como o tipo de vacina, o tipo de câncer que uma pessoa tem (teve), se ainda está em tratamento para o câncer, e se seu sistema imunológico está funcionando corretamente. Algumas vacinas, como a da gripe, que é de vírus inativado, é inclusive recomendada para pacientes oncológicos. Por isso, é melhor conversar com seu médico antes de receber qualquer tipo de vacina.


2- Quais são os tipos de vacinas que foram produzidas para este coronavírus?


Vacinas com vírus inativado, como a Coronavac; vacinas de vetor viral (Oxfor/Astrazeneca e SPUTNIK); vacinas de RNA (Pfizer e Moderna).


3- Pacientes com câncer foram incluídos nos testes das vacinas contra coronavírus?


Os estudos iniciais testando as vacinas da COVID-19 não incluíram pessoas que estão recebendo tratamento com drogas que suprimem o sistema imunológico, como quimioterapia. Isso ocorre porque os estudos precisavam primeiro ver se as vacinas funcionam em pessoas com sistema imunológico saudável. Por esse motivo ainda não está claro quão eficazes as vacinas podem ser nesses grupos de pessoas.


4- Pacientes oncológicos poderão receber as vacinas para coronavírus?


Até o momento não temos vacinas para o coronavírus aprovadas no Brasil. Entretanto, as estratégias para vacinações futuras contemplam pacientes com doenças crônicas (como câncer). Embora as vacinas não tenham sido testadas em pacientes oncológicos, deverá ser avaliado pela equipe assistente do paciente o risco de contágio, tipo de tratamento e grau de imunossupressão do paciente.

Pacientes que já tiveram câncer e não estão mais em tratamento, a princípio deverão seguir as indicações de vacinação de acordo com sua faixa etária e/ou outros problemas de saúde.

5- Deve ser usado algum tipo de medicamento para prevenção da infecção pelo coronavírus em pacientes com câncer?


Até o momento, não existem evidências científicas robustas de que quaisquer das medicações disponíveis no Brasil, tais como ivermectina, cloroquina ou hidroxicloroquina, isoladas ou associadas, sejam capazes de evitar a instalação da doença em indivíduos não infectados. Isso também é verdade para vitaminas como, por exemplo, a C e D, e suplementos alimentares contendo zinco ou outros nutrientes. Uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento permanecem como os pilares da prevenção.


Tem alguma dúvida, ou gostaria de sugerir um tema? Escreva pra mim: carolinavieiraoncologista@gmail.com

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page